Resultado de imagem para Romário

Pesquisa do instituto Paraná Pesquisas, em parceria com o JORNAL DO BRASIL, aponta que, se as eleições para governador fossem hoje, o senador Romário (Podemos) e o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) iriam para segundo turno, com 26,9% e 14,1% das preferências dos eleitores, respectivamente. Para o levantamento foram ouvidas 1.850 pessoas em todo o estado, entre os dias 4 e 9 de maio deste ano, divididas em grupos por sexo, faixa etária a partir de 16 anos, grau de escolaridade e nível econômico.

A margem estimada de erro é de aproximadamente 2,5% para os resultados gerais. No rastro dos dois pré-candidatos ao Palácio Guanabara estão Anthony Garotinho (PRP), com 11,6%; e Índio da Costa (PSD), com 8,8%. A pesquisa apontou nomes de políticos aos entrevistados. Entre as opções de partidos de esquerda e centro-esquerda, o melhor posicionado nesse cenário foi o deputado Miro Teixeira (Rede), com 6,2%; seguido por Celso Amorim (PT), com 3,6%; e Tarcísio Motta (PSOL), 3,1%. O diretor do Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, lembra que o eleitor brasileiro, em especial o do Estado do Rio, não se divide muito entre esquerda e direita ou partidos. “Esse eleitor vota em nomes. Daí, termos os mais conhecidos liderando as intenções de voto”, afirma.

Intenções de voto

                                                                     ***

A pesquisa elaborou vários cenários possíveis. Em todos eles, com pequenas variações, o senador Romário manteve-se na liderança. Se o treinador de vôlei Bernardinho estivesse no páreo, por exemplo, Romário cairia para 24,8%. Já Eduardo Paes desceria para 13,5%. Num cenário sem Bernardinho e também sem Garotinho, mas com Paes, Romário passaria ao segundo turno com o melhor desempenho entre os cenários, chegando a 30,5%, enquanto o candidato do DEM teria 15,1%; e Índio da Costa, 9,5%. Se o pleito fosse sem Bernardinho e Paes, mas com Garotinho, a vantagem de Romário seria de 30,3%, contra 12,9% de Garotinho; e 10,6% para Índio da Costa.

Rejeição Quando os eleitores foram questionados sobre em quem não votariam em hipótese alguma, o vencedor foi o pré-candidato Anthony Garotinho, que já governou o Estado do Rio de Janeiro de 1999 até abril de 2002, quando renunciou ao cargo para concorrer à Presidência da República. Garotinho ficou com 71,9% de rejeição. Em segundo lugar nesse ranking negativo ficou Eduardo Paes, com 65,3%, seguido por Tarcísio Motta (58,1%) e Índio da Costa (56,3%). Para Murilo Hidalgo, o alto índice de rejeição de todos os candidatos é o que mais chama atenção. “Mesmo Romário aparece com 43,7%”, destaca. Hidalgo acredita que esse horizonte abre espaço para um novo nome. “O problema é que esse candidato ainda não existe”, completa.

Disputa mais acirrada pela segunda vaga para senador 

O contexto para eleição ao Senado, de acordo com o levantamento feito pelo Paraná Pesquisas, coloca Flávio Bolsonaro (PSL) como líder folgado na disputa por uma das duas cadeiras a que o Rio tem direito na Casa. O deputado estadual, que está em seu quarto mandato na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), recebeu 32,3% das intenções dos votos.

A briga pela segunda vaga de senador é que está mais apertada. Segundo a pesquisa, há um empate técnico entre o vereador do DEM e ex-prefeito do Rio Cesar Maia — que ainda não se apresentou oficialmente como candidato —, com 20,6% da preferência dos entrevistados, e a ex-delegada de polícia e atual deputada estadual pelo PDT Martha Rocha, com 20,4%. O deputado federal Chico Alencar (PSOL) recebeu 16,3% dos votos; seguido pelos atuais senadores, que buscam a reeleição: Lindbergh Farias (PT), com 15,5%; e Eduardo Lopes (PRB), com 6,4%.

Pesquisa para senador

O deputado federal pelo DEM Sérgio Zveiter recebeu 6,3% dos votos. Indecisos somam 8,8% na pesquisa. Não quiseram optar por nenhum dos nomes apresentados 15,8% dos entrevistados. Pelo fato de haver duas vagas a preencher, a pesquisa ainda trabalhou com dois cenários. No primeiro questionamento, procurou saber apenas quem seria o principal candidato do eleitor. Dessa forma, Flávio Bolsonaro conquistou 25,5% dos votos, enquanto Cesar Maia recebeu 13,2%. Ao pedir aos eleitores que indicassem qual seria sua segunda opção nas urnas, o resultado colocou a deputada Martha Rocha em primeiro lugar, com 8,5%, e Cesar Maia em segundo, com 7,4%. Flávio Bolsonaro, neste caso, ficou somente em terceiro lugar, com 6,8% das intenções de voto.

JB Online

Anúncios